por que os cabelos embaraçam

Por que os cabelos embaraçam?

Ol@! Hoje nossa roda de conversas é sobre o porquê dos cabelos embaraçarem, especialmente depois que realizamos um processo transformação química. Mas, também, tem vezes que embraçam assim, de uma hora pra outra, não é mesmo?

Cabelos

– Quem de nós já não teve alguma vez dificuldade para desembaraçar os cabelos?

– Já perdeu a paciência e acabou “forçando” mecanicamente com a escova ou o pente?

– Quem de nós , após fazer mechas ou luzes no salão,  só conseguiu pentear com cremes embaixo do chuveiro?

Mas, porque os cabelos embaraçam?

Vamos compreender. O cabelo nasce e cresce no couro cabeludo em uma estrutura denominada Unidade Pilossebácea. Esta estrutura (bolsa) se estende desde a derme até a epiderme. Cada unidade contém um folículo piloso (cabelo) e, ligado a ele, há uma glândula sebácea (sebo) responsável pela lubrificação, proteção e brilho do fio. É, também, de certa forma, esse sebo que facilita a penteabilidade, promove a maciez, o brilho e evita os nozinhos.

Há cerca de cem mil folículos capilares no couro cabeludo. Cada folículo é constituído de raiz que se encontra no interior do bulbo capilar e, uma zona denominada de “colarinho”, que compõe o envólucro do folículo: a cutícula, o córtex e a medula. Esta é a parte visível do cabelo – a cutícula, a parte que tocamos, penteamos, modificamos e, também, é esta parte que “embaraça” e que dá aqueles nozinhos indesejáveis.

Cutícula do cabelo

A cutícula é a parte mais externa da fibra. Composta por várias camadas transparentes dispostas umas sobre as outras como telhas de um telhado. A cutícula protege o córtex e a medula contra os danos externos, isso porque é formada por ácidos graxos, aminoácidos, proteínas e sua função é essa mesma: preservar a estrutura capilar interna. A cutícula age como uma barreira para as ações agressivas naturais, físicas e químicas, a exemplo da coloração, tintura, loções de alisamento ou descoloração. Entretanto, ela não é impenetrável. Tanto é que introduzimos cor, retiramos a cor natural, modificamos sua forma, etc. Mas, o que isso tem a ver com os cabelos embaraçados?

CAMADA F

Tem tudo a ver! Quando submetemos os cabelos aos processos de transformações com pH alcalino (colorir ou descolorir, alisar) retiramos e, por vezes, arrancamos da cutícula capilar uma proteína da camada F. A camada F é responsável pela sensação de maciez e a natureza hidrofóbica do cabelo saudável. As ações químicas de transformação infelizmente removem a camada F, fazendo com que o cabelo fique ressecado, áspero e se torne hidrofílico e absorva mais água. O cabelo sem a camada F torna-se poroso (leva mais tempo para secar), áspero, quebradiço e embaraça com mais facilidade. Mas, os prejuízos não param por aí!

Cabelos são fortes como aço, mas não aguentam tudo

1. O SIMPLES ATO DE MOLHAR OS CABELOS: se for saudável, o cabelo molhado pode ser estendido de 40% a 50% e ainda voltar ao comprimento original, sem quebrar. Entretanto, quando submetido aos clareamentos e colorações e outras transformações químicas, molhar o cabelo dilata e amolece a cutícula, a resistência do cabelo diminui significativamente e, o simples ato pentear embaixo do chuveiro, pode ser uma ação extremamente danosa para a fibra, aumentando a porosidade e a quebra do fio.

2. AÇÕES NATURAIS: o sol, o vento, o frio, a poluição, cloro da piscina, água do mar, os radicais livres (O2), etc., ainda que sejam de menor intensidade, são “agressores” naturais que provocam sensibilidades e envelhecem precocemente a fibra capilar.
3. AÇÕES QUÍMICAS: colorações, alisamentos, tinturas, mechas, descolorações, progressivas ou, o uso de produtos de baixa qualidade, shampoos com pH muito alcalinos; são processos de transformações aos quais nos submetemos quer no Salão de Beleza ou, em casa. Um clareamento intenso ou repetido pode diminuir a força do cabelo em 15%. E, infelizmente, são estas ações que dilatam a cutícula e promovem as rupturas mais profundas na fibra capilar. Estas reações químicas, muitas vezes realizadas simultaneamente, fazem com que os cabelos não retornem ao pH normal, isto é, com as escamas (cutículas) abertas elas se sobrepõem de maneira irregular provocando nozinhos e deixam os fios embaraçados com dificuldade de pentear.

4. AÇÕES FÍSICAS: Ai, ai, ai… Estas ações são promovidas por nós mesmas. O uso excessivo da escova, pente, secador, prancha, baby liss -, ferramentas que usamos para desenredar, desembaraçar, secar e alisar os fios, na pressa, na ausência de paciência, “agredimos” fisicamente a fibra usando a força mecânica associada à calor. Altamente nocivas aos cabelos. FONTE: HALAL, John. Tricologia e a química cosmética Capilar. São Paulo, 2011.

Os fios precisam se dobrar e deslizar uns sobre os outros sem se “machucar”.  Para que não embaracem ou, ao menos, diminuir essas dificuldades,  necessitamos  facilitar esse processo. A primeira sugestão é usar soluções que devolvam nutrientes (aminoácidos) para estrutura proteica dos cabelos. Shampoos e condicionadores específicos. Depois, o finalizadores que tratam e restauram em poucos segundos a uniformidade da cutícula e em especial reconstruam a CAMADA F, desembaraçando instantaneamente.

Os cabelos Crespos e Cacheados também embaraçam?

Sim, eles também necessitam de cuidados especiais. Isso porque não há diferença entre a  composição química dos cabelos de lisos, crespos, cacheados ou ondulados. Isto é, são feitos dos mesmos elementos ou substâncias. O que muda entre os cabelos lisos, ondulados, cacheados ou afros é a forma e o posicionamento do bulbo capilar ainda no interior da derme.

E é exatamente isso que vai implicar numa formatação diferente durante o crescimento, na curvatura do fio e, especialmente, na ABSORÇÃO NUTRICIONAL e que pode acarretar em cabelos mais secos e, portanto que embaraçam com mais facilidade.

Cabelos lisos nascem de bulbos simétricos na base do folículo e cabelos crespos possuem um bulbo visivelmente assimétrico (desigual). Este formato diferente tem algumas implicações considerando a curvatura em espiral que formam os cachos e as ondulações.  Em cabelos Cacheados ou Crespos a lubricidade natural advinda da glândula sebácea não tem o alcance necessário para dar o peso molecular e nutrição ao fio. Isso faz com que fiquem insuficientemente lubrificados, resultando em cabelos ressecados, frágeis e mais vulneráveis às ações naturais, químicas e físicas.

Os cabelos lisos, por exemplo, a lubricidade atinge cerca de 14cm, porém, em cabelos crespos e ondulados,  mutas vezes não passa de 2cm. A curvatura, as ondas, os cachos dos fios influenciam na movimentação dos cabelos, pois há mais pontos de contato (fricção) entre as fibras. Quanto mais pontos de contato, mais possibilidades de embaraço, mais volume e frizz. A natureza crespa dos cabelos afros é extremamente frágil, exige mais força para pentear o que contribui para maior incidência de quebras.

Muitas vezes a raiz é oleosa e, meio e pontas secas. Sendo necessária a reposição de nutrientes que possam devolver peso molecular e nutrição que sejam capazes de proporcionar a lubricidade e brilho e ainda reter a parte hídrica (água) na fibra. Os cabelos cacheados e crespos necessitam de mais reposição nutricional que os lisos. Ambos sofrem desse desgaste e, por isso, embaraçam.

Pronto! Agora você já sabe porque os cabelos embaraçam. Mas, então! O que fazer? Adoramos fazer estas transformações? Somos apaixonadas por colorir, mechar, cachos com luzes?Calma! Nosso propósito aqui também sugerir e apontar soluções para essas questões ou problemas capilares. Nesse caso, sugerimos o Finalizador DESEMBRAÇA-ME.

Consulte nossa página www.autoriacosmeticos.com.br.

FONTE: Como Classificar os Cabelos, Trefor A. Evans, Ph.D. Princeton NU, EUA. COSMETICS & TOILETRIES. VOL 29, 2016
Fibra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *